Esta pergunta foi sinalizada
174 Visualizações


Soft Skills são, em palavras simples, atributos que fazem do indivíduo um profissional melhor qualificado para um trabalho. Cada vez mais específicos, os processos seletivos da atualidade incluem análise de soft skills como parte fundamental da etapa de avaliação de aptidão para uma vaga de emprego. 

Um dos mais desejáveis atributos, buscado ativamente por recrutadores, é a inteligência emocional. 

Para que você compreenda melhor este atributo e possa entender como desenvolvê-lo, apresento neste artigo o detalhamento dos 4 pilares da Inteligência Emocional.

São estes:


Autoconsciência: está diretamente relacionada a seu autoconhecimento. Este pilar influencia diretamente todos os demais pilares. É sobre você ter consciência do que você está sentindo e como isso irá impactar seu comportamento (ação/reação). Alguns grupos sociais, em especial a geração Millenials, não foi incentivada a dar ênfase às suas próprias emoções, e às vezes incentivada a escondê-las. Para esta geração em particular, pode ser um desafio desenvolver a autoconsciência. Como você pode desenvolvê-la em seu trabalho? Você tem clareza de suas missão, valores e pontos fortes e fracos? Você tenta desenvolver seus pontos fracos? Esse exercício pessoal nos torna mais tolerantes com os demais, já que entendemos que todos têm fraquezas e precisam aprimorá-las.


Autogestão: Você é capaz de manter suas emoções sob controle? Age por impulso? É adaptável a mudanças? É sobre  a capacidade de olhar para dentro de si e compreender suas próprias nuances psíquicas. Adaptabilidade é conseguir se adaptar facilmente às mudanças, como o avanço e aceleração digitais, por exemplo. Positividade é o foco da autogestão, embora não signifique que você deva sorrir o tempo todo. Ser resiliente, apreciar feedbacks, estar sempre dispostas ao aprendizado, isso é positivismo. Qual é sua Mindset? Mindset ( ou mentalidade) de crescimento é aquela pessoa que busca desafios, anti frágeis, buscam melhoria contínua. Já o mindset fixo tem perfil conformista, aversão às mudanças.


Consciência social: se interessar, ouvir de verdade. Para exercitar a consciência social, é imprescindível aprender a forma correta de ouvir. No dicionário Michaelis, a palavra “ouvir” é definida por: “entender ou perceber os sons pelo sentido do ouvido”, então compreenda que o ouvir está diretamente relacionado à função da audição, apenas. Nem sempre ouvir quer dizer que você escutou, deu detida atenção ao que seu interlocutor falou e expressou. Observe agora a definição da palavra “escutar”: “ ouvir com atenção, presta atenção para ouvir alguma coisa”. Na escuta, você efetivamente concentra-se no que está sendo dito, considerando o contexto, para compreender do que se trata, cognitivamente e emocionalmente falando.  Empatia dividida em três elementos: cognitiva, quando você entende o que a outra pessoa quer dizer, empatia emocional ou afetiva (você entende como o outro se sente, pois você consegue sentir a dor do outro) e a consideração empática (o que posso fazer por você? Essa empatia é mais adequada para o gestor, pois é direcionada a buscar soluções. Adquira consciência organizacional. Você conhece a instituição? Missão, visão, valores.


Gestão de relacionamentos:  Como eu administro minhas relações com os outros? Este pilar é direcionada para o “externo”: com quem você interage. Neste campo da inteligência emocional, você desenvolve a escuta qualificada, o “saber ouvir”: O saber ouvir é potencializar a escuta ativa. É dar atenção ao que a outra pessoa está falando, essa atitude além de ser uma manifestação de boa educação, demonstra respeito e consideração.  A escuta ativa trata-se de escutar atentamente o que o outro está dizendo. Pode ajudar a aperfeiçoar o seu entendimento em relação a seus colegas de trabalho, liderados, clientes e chefia. Você pode melhorar este campo por manter o foco na pessoa que estiver falando, dedicando a ela sua atenção exclusiva enquanto ela se expressa. Ainda, procure não julgar o que a pessoa está falando, resista à tendência natural de elaborar argumentos para refutar o que o interlocutor está falando. E, também, não interrompa, principalmente se for para contra- argumentar. Existe uma estratégia valiosa para demonstrar sua inteligência emocional neste campo: valide o que você escutou, parafraseando o que você ouviu, para dar a seu interlocutor a percepção de que você se esforçou para compreender o ponto de vista dele. Isso lhe dará a chance de mudar a perspectiva dele em relação a você! Trabalho em equipe, reconhecendo seu lugar e papel na equipe. Você é membro, então reconhece seu papel por contribuir ativamente durante as trocas. Para ouvir e falar no tempo certo. E se você é o líder, age com transparência, se tornando um exemplo de liderança inspiradora.

Você é um influenciador?  Influência é mostrar seus argumentos de forma assertiva. Na gestão de conflitos, usar a habilidade de influenciar os demais para obter um resultado positivo; consegue reconhecer os sentimentos envolvidos de todas as partes, e encontra uma saída adequada para todos, sempre buscando os melhores resultados.


 Exercícios para desenvolver inteligência emocional


Conclusão: A inteligência emocional ,assim como qualquer outro soft skill, pode ser aprendida e desenvolvida. É fundamental que nos dediquemos cada vez mais a aprimorar nossos atributos profissionais, a fim de apresentarmo-nos como candidatos mais bem preparados para o mercado de trabalho.


Créditos imagem: Vecstock

Avatar
Cancelar

Sua resposta

Tente oferecer uma resposta substancial. Se quiser comentar sobre a pergunta ou resposta, basta utilizar a ferramenta de comentários. Lembre-se de que você sempre pode revisar suas respostas - Não há necessidade de responder à mesma pergunta duas vezes. Não esqueça de votar - Selecionar as melhores perguntas e respostas é realmente útil!